sábado, 31 de dezembro de 2011

"As palavras estão cheias de falsidade ou de arte; o olhar é a linguagem do coração." William Shakespeare


De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou

William Shakespeare

sábado, 17 de setembro de 2011

“Faço grande esforço para não ter o pior dos sentimentos: o de que nada vale nada...” (Clarice Lispector)

(...)eu sei como é tudo isso. Eu sei como é se segurar e deixar para chorar só quando ligar o chuveiro, assim ninguém percebe. Eu sei como é refletir sobre a vida antes de dormir e se certificar de que ninguém está ouvindo para começar a soluçar. Eu sei como é sofrer tão dolorosamente que as vezes você precisa fingir que vai ao banheiro, ou beber água, apenas para lavar o rosto e se recompor. Eu sei como é ter os olhos úmidos e aquele medo de que não seja forte o suficiente para segurar as lágrimas quando está em público. Eu sei como é sentir aquele nó enorme na garganta, que te sufoca, até que você cede e chora. Eu sei como é sentar na cama, pegar o travesseiro e chorar tanto, mas tanto, que se surpreende com o rio que terá que esconder da sua família. Acredite, eu sei como é tudo isso.

domingo, 11 de setembro de 2011

“Meu Deus, faça com que a solidão não me destrua. Faça com que minha solidão me sirva de companhia. (...) Faça com que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo.” (Clarice Lispector)

Eu estou atrás da porta, o corpo revirado, amassado, pequeno, todo dobrado. Sou uma carta gigante, chata, cheia de erros, longa demais, muito complicada. “Chega”, alguém com preguiça de ler sobre o amor ou sem coração para se emocionar com uma carta, disse. E eu virei bolinha de papel. (...) Eu sou uma luzinha minúscula no meio da multidão, uma luzinha que pertence ao show mas não tem o que celebrar. Eu sou um pontinho enorme de tristeza e desespero no meio das pessoas enlouquecidas cantando “I can’t live, with or without you”. Eu sou uma pequena voz em meio a tantas pessoas que sofrem. Deus, eu sei, eu sei, são tantos e maiores os sofrimentos mas, por favor, não deixe de me dar força, me dar força para que pelo menos, ainda que pequena e com vontade de queimar, eu continue ao menos acendendo o meu fogo e fazendo parte da expectativa. (...) Mais do que tudo, sou a garotinha assustada, cinco ou seis anos, ajoelhada no chão do banheiro pedindo que os pais parassem de brigar, assustada com o amor, assustada com a vida, assustada com a porta trancada e a solidão. Essa mesma garotinha mal resolvida que vaga dentro de mim, como um espírito que não aceita evoluir, é a garotinha que quis se curar do medo do amor com um amor tão grande, tão grande, tão grande, que não existe. E ficou sem nenhum. (Tati Bernardi)

"Hoje deu vontade de chorar e eu só queria um colo para encostar minha cabeça e fingir que o mundo lá fora não existe." (Tati Bernardi)

"A verdade é que desde sempre foi complicado entender o que eu sinto, mas eu sempre tentei descrever em palavras para que,
quem sabe alguém mais ou menos desocupado do que eu, pudesse entender por mim. A vida bateu na minha cara, muitos dias seguidos,
sem poesia nenhuma que era pra me deixar sem vontade alguma de abrir os olhos.
Só que os olhos são meus e cabe a mim saber até onde é bom enxergar, mesmo que sejam só coisas ruins
que não vão me dar o sorrisinho que eu tenho que carregar todas as manhãs.
Assim como tudo na vida, amores e amigos vêm e vão e, fico aqui perguntando baixinho,
quem sou eu então pra decidir que os meus não deveriam ir? Não adianta mais prometer que será pra SEMPRE.
Eu não quero promessas. Promessas criam expectativas e expectativas borram maquiagens e comprimem estômagos.
Eu não quero dor. Eu não quero olhar no espelho e ver você escorrer, manchando minha maquiagem.
É pelo medo de cair de novo que meus joelhos tremem. Eu quero, no mínimo uma garantia.
E eu só preciso me desfocar do sonho que me deixa míope e enxergar além, ou melhor: enxergar o que está na minha cara.
Antes de dormir rezei, pedi a Deus que perdoe tanta ingratidão de minha parte, por não enxergar tudo de bom que a vida me oferece..."

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

"Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas; minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos" (Clarice Lispector)

Eu sofri. Meu Deus, como eu sofri com amores errados, ilusões, migalhas, coisas que achava que eram e nunca foram,
paixonites enlouquecidas, vontades desesperadas. Eu posso dizer para você com todas as letras do alfabeto eu-sofri-muito. E sim, passou.

(Clarissa Corrêa)

sábado, 3 de setembro de 2011

Sigo à risca. Me descuido e vou...Quebro a cara. Quebro o coração. Tropeço em mim. Me atolo nos cinco sentidos. Viver não é perigoso? Então, com sua licença! (Guimarães Rosa)

Se a gente pensar que já viveu tudo o que tinha para viver, que não há mais surpresas nem vertigens pela frente, que graça terá acordar amanhã de manhã? (Martha Medeiros)

Trago no olhar visões extraordinárias, de coisas que abracei de olhos fechados...(Florbela Espanca)



Essa vontade de espalhar buquês de sorrisos por aí,
porque os sensíveis, por mais que chorem de vez em quando
ou de vez em muito, não deixam adormecer a idéia
de um mundo que possa acordar sorrindo...
Pra toda gente. Pra todo ser. Pra toda vida...
(Ana Jácomo)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

"E todos os dias ficarei tão alegre que incomodarei os outros." (Clarice Lispector)

"Muita coisa que ontem parecia importante ou significativa, amanhã virará pó no filtro da memória. Mas o sorriso... ah, esse resistirá a todas as ciladas do tempo." (Caio F. Abreu)

domingo, 28 de agosto de 2011

"No século XX não se ama. Ninguém quer ninguém. Amar é out, é babaca, é careta." (Caio F. Abreu)


Com tanto potencial pra acabar com a minha vida, sabe o que ele quer? Me fazer feliz.
Olha que desgraça. O moço quer me fazer feliz. E acabar com a maravilhosa sensação de ser miserável.
E tirar de mim a única coisa que sei fazer direito nessa vida que é sofrer.
Anos de aprimoramento e ele quer mudar todo o esquema. O moço quer me fazer feliz. Veja se pode. (Tati Bernardi)

"Para atravessar agosto é preciso antes de mais nada paciência e fé. Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau; fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará setembro — e também certa não-fé, para não ligar a mínima às negras lendas deste mês de cachorro louco." (Caio F. Abreu)

“Ah, mas tudo bem. Com o tempo, todo mundo se acostuma. As pessoas esquecem umas das outras com tanta facilidade. Como é mesmo que minha mãe dizia? Quem não é visto, não é lembrado. Longe dos olhos, longe do coração. Pois é.”
(...)eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou… e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar.
(...)Quando voltar setembro, tudo estará acabado.

“Eu antes era uma mulher que sabia distinguir as coisas quando as via. Mas agora cometi o erro grave de pensar.” Clarice Lispector

(...)minha dança é queda equilibrada, minhas roupas novas são fantasias, meu sorriso é espasmo de dor, minha caminhada reta é um círculo que sempre me traz até aqui, meu sono é cansaço de realidade, minha maquiagem é exagerada, meu silêncio é o grito mais alto que alguém já deu, minhas noites são clarões horríveis que me arregaçam o peito e nada pode me embalar e aquecer, o frio é interno, o incômodo é interno, nenhum lugar do mundo me conforta. Minha fome é sobrevivência, minha vontade é mecânica, minha beleza é esforço, meu brilho é choro, meus dias são pontes para os dias de verdade que virão quando essa dor acabar, meus segundos são sentidos em milésimos de segundos, o tempo simplesmente não passa. (Tati Bernardi)

sábado, 27 de agosto de 2011

Dinheiro não traz felicidade, mas ajuda a sofrer em Paris!

Me senti visitando meu próprio cemitério. Com amigos e amores mortos e enterrados. Pessoas que a gente desenterra de vez em quando pra ter certeza que fizemos a melhor escolha enterrando elas. Pessoas que a gente lamenta a distância, afinal, já foram tão importantes (...) "E esse é meu presente dessa fase tão terrível de gente indo embora. Quem tem que ficar, fica."

"Por fora, já desistiu. Por dentro, sempre descobre alguma desculpa para recomeçar." (Fabrício Carpinejar)

Trago lágrimas, sorrisos, histórias, abraços... trago momentos felizes, momentos de decepção. Carrego pessoas, amores e desamores, amigos e inimigos, desafetos, paixões... Não sou um livro aberto, mas também não tão fechado que você não consiga abrir, basta ter jeito, saber tocar as páginas, uma a uma, e descobrirá de que papel é feito cada uma delas...(Caio F. Abreu)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

"Mulher gosta de receber flores para ler o que está escrito no cartão." (Fabrício Carpinejar)

Hoje eu acordei numa casa diferente, num quarto diferente, sem nenhuma muleta, sem nenhuma maquiagem, meus amigos estão ocupados, meus pais não podem sofrer por mim. (...)Hoje eu acordei sem nada no estômago, sem nada no coração, sem ter para onde correr, sem colo, sem peito, sem ter onde encostar, sem ter quem culpar. Hoje eu acordei sem ter quem amar, mas aí eu olhei no espelho e vi, pela primeira vez na vida, a única pessoa que pode realmente me fazer feliz. (Tati Bernardi)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Coragem, às vezes, é desapego. É parar de se esticar, em vão, para trazer a linha de volta. (Caio F. Abreu)

O outro tem o direito de não te querer. Não brigue, não ligue, não dê pití. Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar...ou não. Existe gente que precisa da ausência para querer a presença. O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta. Nada de drama. Que graça tem alguém do seu lado sob pressão? O legal é alguém que está com você, só por você. E vice versa. Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento. Tem gente que pula de um romance para o outro. Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia? Gostar dói. Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração... Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo. E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse... A pior coisa é gente que tem medo de se envolver. Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta. Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar. Nem todo beijo é para romancear. E nem todo sexo bom é para descartar...Ou se apaixonar...Ou se culpar.... Enfim...quem disse que ser adulto é fácil ??? (Arnaldo Jabor)

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Eu decidi ficar com o amor. Ódio é um fardo muito grande para suportar.(Martin Luther King)

"Quero, um dia, dizer às pessoas que nada foi em vão... Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena." (Mário Quintana)

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir os nãos que a vida me enfia pela goela abaixo.

(...)então delete, tudo aquilo que não valeu a pena. Quem mentiu, quem enganou seu coração, quem teve inveja, quem tentou destruir você, quem usou máscaras, quem te magoou, quem te usou e nunca chegou a saber quem realmente você é. (Caio F. Abreu)

domingo, 14 de agosto de 2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

"NÃO HAVERÁ BORBOLETAS..se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.” (Rubem Alves)

Sou uma filha da natureza: quero pegar, sentir, tocar, ser. E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério. Sou uma só... Sou um ser. E deixo que você seja. Isso lhe assusta? Creio que sim. Mas vale a pena. Mesmo que doa. Dói só no começo. (Clarice Lispector)

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Aqui digo: que se teme por amor, mas que, por amor também, é que a coragem se faz. (João Guimarães Rosa)

Se cada dia cai, dentro de cada noite, há um poço onde a claridade está presa. Há que sentar-se na beira do poço da sombra e pescar luz caída com paciência. (Pablo Neruda)

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Eu sou assim, quero tudo e quero agora! Uns chamam de mimada, mas eu prefiro decidida... (Clarice Lispector)


Nada se perdeu. Tudo que foi vivido representa o que sou hoje e me faz ainda mais forte.
Mais feliz também, apesar do gosto amargo da impossibilidade.
Apesar de amar desse jeito trôpego e confuso, sem saber como nem onde.
Mas, mesmo quando as pernas vão vacilantes e o fardo se torna pesado,
ainda assim “encho-me dum leite de versos e,
sem poder transbordar, encho-me mais e mais”.
Por que só sei viver e amar assim:
“Como quem desaba sobre o outro como uma chuva forte”.

(Camila Micheletti, em itálico Maiakóvski)

domingo, 31 de julho de 2011

(...)eternizar em nós o que vale a pena, e esquecer definitivamente aquilo que não vale. É isso. (Caio F. Abreu)

Não sabia que era precisamente esse fracasso que me levaria ao lugar que desejava. As correntes do rio profundo foram mais generosas que o meu remar contra elas. Não cheguei aonde planejei ir. Cheguei, sem querer, aonde meu coração queria chegar, sem que eu o soubesse. (Rubem Alves)

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama...Amor-próprio. (Charles Chaplin)


Existe essa alegria, e eu não posso evitá-la,
pois são poucos os gestos permitidos, se você reparar;
não podemos desperdiçar um que seja.
Então, muitas vezes, eu preciso de um fone de ouvido para ouvir
a minha alegria bem alto sem incomodar o vizinho.
É algo inédito, mas agora existe isso na minha vida.
Então, eu me sento ali no cantinho e sou feliz,
escancaradamente sem motivo!

(Rita Apoena)

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama, acorda e põe a sua roupa de viver. (Clarice Lispector)


"Chorar não resolve, falar pouco é virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoismo. Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos. Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos."
(Charles Chaplin)

"Pior do que uma mulher que fala o que pensa é uma que escreve." (Tati Bernardi)

(...)só que aí eu acabei mudando. E foi mudança aos poucos, porque até hoje me dou conta de coisas minhas que já não estão mais lá e, quem roubou, eu jamais vou saber. O sorriso mudou e a vontade de sorrir pra qualquer pessoa também, graças a Deus. Foi por sorrir tanto de graça que eu paguei tão caro por todas as coisas que me aconteceram. Às vezes me pego olhando ao meu redor e vendo tanta menina parecida comigo. Tanto sentimento gritando de bocas caladas e escorrendo de peles secas. Tanta coisa acontece com a gente. Tanta gente passa pela gente, mas tão pouca gente realmente fica. E eu sei que, talvez, eu tivesse que ficar triste. Talvez eu tivesse que continuar secando lágrimas, abraçando o vento e rindo no vácuo, mas o fato é que eu não consigo. Eu não consigo mais ser triste só para mostrar que um dia eu fui - ou achei que tivesse sido - feliz. Aprendi com os meus próprios erros que sofrer não torna mais poético, chorar não deixa mais aliviado e implorar não traz ninguém de volta. Aprendi também que por mais que você queria muito alguém, ninguém vale tanto a pena a ponto de você deixar de se querer. Eu que gritei para tantas pessoas ficarem, hoje só quero mesmo é que elas sumam de uma vez por todas. E em silêncio, que é pra ninguém ter porque se lamentar.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Manifesto: Quero meu lado mulherzinha de volta...

Primeiramente devo dizer: a culpa não é de ninguém. Não me atirem pedras, nem queimem meus sutiãs que me são tão raros, caros e meus. Ando pensando muito na questão ying/yang na sociedade e dentro de nós e o que eu vejo não são mulheres independentes e felizes com seus novos papéis, nem homens satisfeitos com um ter-que-ser que não combina com seus antigos moldes. O que enxergo são homens e mulheres perdidos e insatisfeitos, loucos por colo e amor, e loucos de saudade. Eu quero ser mulher de novo, estou cansada de virar homem tantas vezes ao dia, tendo que resolver a vida e o mundo. Tenho que trabalhar, pagar contas, impostos, saber tudo sobre contabilidade, escrever, recitar Vinicius, ter uma bunda dura, um cabelo macio, quinhentos e cinqüenta e cinco cheiros gostosos pelo corpo, pés e mãos bem feitos, saber o que está passando no cinema, ler de Sartre a Vogue, ajudar a família e amigos, colocar os quadros novos na parede, responder e-mails e estar Linda e com a pele fresca para quando aquela pessoa que você joga charme há meses te chamar pra sair. Ok, você toma banho em segundos, reclama com sua mãe enquanto procura o que vestir (a eterna dúvida do primeiro encontro) e tenta se focalizar em ser mulher. Apenas mulher. E o interfone toca e você está com duas blusas na mão, nenhum sapato no pé e uma interrogação bem no meio DA maquiagem. O espelho não mente: você está ligeiramente Linda, confusa e cansada. Mas pega a bolsa e vai...(afinal, arriscar é viver). No caminho você pensa, enquanto passa o batom: o mundo está invertido ou será que sou eu? E você não encontra respostas mas encontra o cara. Parado. Mudo. Com um olhar bonito e alguma expressão que você não entende. Aí tem a mesma imagem de minutos atrás. Vê o ponto de interrogação bem no meio DA cara dele. O cara não sabe o que fazer. Não sabe se abre a porta do carro, se escolhe o restaurante, se te beija, se te come ou manda embrulhar, se manda flores no dia seguinte, se conversa sobre poesia, sobre filhos ou musculação, tudo porque ele está na dúvida se você vai achar lindo ou se vai rir na cara dele. Tudo porque ele está perdido, mas...caramba, você também está! Não sabe se ele tem a mente aberta como aparenta ou se é mais careta que seu tio. E ninguém se percebe. O cara te acha inteligente, gostosa, divertida, e acha que você é moderna demais pra gostar de uma mensagem fofa no dia seguinte. Meninos, é mentira. A gente gosta. Tem gente que pode não gostar, mas eu gosto. Vivemos num momento de transição e conflitos, mas FICA difícil de entender. Nada mais normal. Eu, por exemplo, trabalho, tenho minha Casa, sou forte por acaso, mas tenho meu lado mulherzinha que não me deixa. Sou emotiva, sensível, choro à toa, rodo a baiana mas espero o telefone tocar, tenho meus nhem nhem nhens e estou cansada. Cansada de ser racional. Cansada de ser ´bem resolvida´, cansada de tomar a iniciativa, cansada de ser homem em cima do salto. Por isso, em Nome do meu equilíbrio, DA falsa modernidade e dessa bagunça que virou um simples abrir-e-fechar de portas, eu me atrevo a dizer: toda mulher tem seu lado mulherzinha. Rapazes, sejam fortes e persistentes, nós somos complicadas, mas contamos com vocês!´ (Martha Medeiros)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

É possível acariciar as pessoas com palavras. (Francis Scott Fitzgerald)

Em colcha florida Me deitei. Pássaros pintados Escutei. Grinaldas nos ares Contemplei. Da morte e da vida Me lembrei. Dias acabados Lamentei. (Flores singulares Não bordei. A canção trazida Não cantei. Naveguei tormentas pelos quatro lados. Não as amansei! Ó grinaldas, flores, pássaros pintados, Como dormirei?) (Cecília Meireles)

" Quero ser lembrada em horários malucos, todos os horários, pra sempre." (Tati Bernardi)

"Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, nos bares, levanta os braços, sorri e dispara: ´eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também´. No entanto, passado o efeito do uísque com energético e dos beijos descompromissados, os adeptos da geração ´tribalista´ se dirigem aos consultórios terapêuticos, ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo e reclamam de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição. A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu. Não dá, infelizmente, para ficar somente com a cereja do bolo - beijar de língua, namorar e não ser de ninguém. Para comer a cereja é preciso comer o bolo todo e nele, os ingredientes vão além do descompromisso, como: não receber o famoso telefonema no dia seguinte, não saber se está namorando mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa, etc, etc, etc. Desconhece a delícia de assistir a um filme debaixo das cobertas num dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto abraçado, roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade, carinho e amor. Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e ser cuidado por ele, é telefonar só para dizer bom dia, ter uma boa companhia para ir ao cinema de mãos dadas, transar por amor, ter alguém para fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas, enfim, é ter ´alguém para amar´.. Somos livres para optarmos! E ser livre não é beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se permitir viver um sentimento..." (Arnaldo Jabor)

domingo, 24 de julho de 2011

“Uma garota só precisa de um garoto que possa ser homem o bastante para prová-la que nem todos os homens são iguais.” Marilyn Monroe

Me deixa fazer você entender que eu gosto de mim e quero ser preservada. Me deixa de fora de suas mentiras e dessa conversa fiada. Eu sou uma espécie quase em extinção: eu acredito nas pessoas. E eu quase acredito em você. Não precisa gostar de mim se não quiser. Mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado. Não me diga nada. (Ou me diga tudo). Não me olhe assim, você diz tanta coisa com um olhar. E olhar mente, eu sei! E eu sei porque aprendi. Também sei mentir das formas mais perversas e doces possíveis. (Sabia?) Mas meu coração está rouco agora. GRAVE! Você percebe? Escuta só como ele bate. O tumtumtum não é mais o mesmo. Não quero dizer que o tempo passou, que você passou, que a ilusão acabou, apesar de tudo ser um pouco verdade. O problema não é esse. Eu não me contento com pouco. (Não mais). Eu tenho muito dentro de mim e não estou a fim de dar sem receber nada em troca. Essa coisa bonita de dar sem receber funciona muito bem em rezas, histórias de santos e demais evoluídos do planeta. Mas eu não moro em igreja, não sou santa, não evoluí até esse ponto e só vou te dar se você me der também." (Fernanda Mello)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

"Na solidão de certos dias eu me invento." (Martha Medeiros)

Primeiro você cai num poço. Mas não é ruim cair num poço assim de repente? No começo é. Mas você logo começa a curtir as pedras do poço. O limo do poço. A umidade do poço. A água do poço. A terra do poço. O cheiro do poço. O poço do poço. Mas não é ruim a gente ir entrando nos poços dos poços sem fim? A gente não sente medo? A gente sente um pouco de medo, mas não dói. A gente não morre? A gente morre um pouco em cada poço. [Caio F. Abreu]

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Nós mulheres por Chico Buarque:

É sempre um grande mistério a alma feminina. Eu tenho uma grande curiosidade com relação à mulher, como ela pensa, como ela age. Eu sou um espectador, um vouyer, um vedor de mulher. Gosto de ver como elas se movem, como elas raciocinam, como elas reagem diante das coisas. É sempre uma surpresa pra mim. Não acaba. Conversa não resolve nada, você fala, fala, fala, mas há coisas que permanecem numa zona de mistério. Eu me considero um grande desconhecedor da alma feminina. Ao contrário do que se fala, virou um lugar-comum por causa das canções e tal… Mas eu sou um sujeito muito curioso exatamente por desconhecer, por querer saber, querer entender e não entender nunca...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

"A vida é apenas um tempinho horroroso cheio de momentos deliciosos." (Oscar Wilde)

O que eu queria mesmo era um ombro amigo onde pudesse encostar a cabeça, uma mão passando na minha testa, uma outra mão perdida na minha. O que eu queria era alguém que me recolhesse como um menino desorientado numa noite de tempestade, me colocasse numa cama quente e fofa, me desse chá de laranjeira e me contasse uma história. Uma história longa sobre um menino só e triste que achou, uma vez, durante uma noite de tempestade, alguém que cuidasse dele¨ (Caio Fernando Abreu)

terça-feira, 19 de julho de 2011

"Se alguém me achar, me devolva." (Fabrício Carpinejar)

"Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..." [Clarice Lispector]

“Eu constantemente sinto saudade das coisas que perco, mas não as quero de volta. Já doeu uma vez.” (Caio F. Abreu)

"Houve uma mudança de planos e eu me sinto incrivelmente leve e feliz. Descobri tantas coisas. Tantas, Tantas. Existe tanta coisa mais importante nessa vida que sofrer por amor. Que viver um amor. Tantos amigos. Tantos lugares. Tantas frases e livros e sentidos. Tantas pessoas novas. Indo. Vindo. Tenho só um mundo pela frente. E olhe pra ele. Olhe o mundo! É tão pequeno diante de tudo o que sinto. Sofrer dói. Dói e não é pouco. Mas, faz um bem danado depois que passa. (...)Mas agora, com sua licença. Não dá mais para ocupar o mesmo espaço. Meu tempo não se mede em relógios. E a vida lá fora, me chama.

Publicar um texto é um jeito educado de dizer “me empresta seu peito porque a dor não tá cabendo só no meu." (Tati Bernardi)

''Hoje é um daqueles dias estranhos. Não tô achando a vida nenhuma maravilha... mas isso é bem normal, não? Amanhã acontece alguma coisa e de repente acho que vou ficar bem pra sempre. Acho que é assim com todo mundo.'' (Tati Bernardi)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

"...ensinem-me a maneira de dar leis ao coração!" (Florbela Espanca)

(...)estranho é que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é? A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas? A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar. Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera? E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará. A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. (Caio Fernando Abreu)

"Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces (...)" Vinicius de Moraes

Mulher tem faro, não se contenta com a embalagem. É bem mais comum ver uma mulher linda acompanhada de um homem aparentemente sem graça do que o contrário. Não é (só) porque a concorrência é implacável e nos contentamos com o que sobra. É porque mulher tem raio-x: consegue olhar o que se esconde lá dentro. Se além de um belo coração e um cérebro em atividade ele ainda for apetecível, é lucro. Pena que a recíproca raramente seja verdadeira. Economizaríamos fortunas em cabeleireiros e academias se os homens fossem direto ao que interessa, na alma e no espírito, para os quais não adianta maquiagem. (Martha Medeiros)

domingo, 17 de julho de 2011

(...)porque no meio do caminho tinha uma palavra: RESPEITO. Não pude continuar sem ela. (Vanessa Leonardi)

Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta, que hoje, eu me gosto muito mais porque me entendo muito mais também. E que a atitude de recomeçar é todo dia, toda hora. É se respeitar na sua força e fé, é se olhar bem fundo até o dedão do pé. Eu apenas queria que você soubesse que essa criança brinca nesta roda e não teme o corte das novas feridas pois tem a saúde que aprendeu com a vida. (Gonzaguinha)

" Eu sei que todos os dias quando eu acordo Deus dá um sorriso e me diz: estou te dando a chance de tentar de novo. " (Caio F. Abreu)

Meu Deus, não sou muito forte, não tenho muito além de uma certa fé - não sei se em mim, se numa coisa que chamaria de justiça-cósmica ou a-coerência-final-de-todas-as-coisas. Preciso agora da tua mão sobre a minha cabeça. Que eu não perca a capacidade de amar, de ver, de sentir. (...) Que eu não me perca, que eu não me fira, que não me firam, que eu não fira ninguém. Livra-me dos poços e dos becos de mim, Senhor.

Algum dia, o poder será dado à ternura. (Rubem Alves)

A gratuidade do amor consiste nisso: Amar quando o outro não merece ser amado. Surpresa maior não há! Ser abraçado no momento em que sabemos não merecer ser perdoados. O Amor Verdadeiro Desconcerta! (Pe. Fábio de Melo)

sábado, 16 de julho de 2011

Ver com amor também é um jeito de prece. (Ana Jácomo)

É isto que amamos nos outros: o lugar vazio que eles abrem para que ali cresçam as nossas fantasias. Buscamos, no outro, não a sabedoria do conselho, mas o silêncio da escuta; não a solidez do músculo, mas o colo que acolhe... Como seria bom se as outras pessoas fossem vazias como o céu, e não tão cheias de palavras, de ordens, de certezas. Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu, onde podemos fazer voar nossas fantasias como se fossem pipas... (Rubem Alves)

Minha alma está de dieta.

Sinto dizer: desapontar pessoas faz tão parte da vida quanto tomar café. Leio e releio esta frase e engulo seco. Minha alma está de dieta. Não cabe em mim o peso de mais uma cara amarrada. Decepções não acontecem porque deixamos de fazer alguma coisa para alguém ou porque não somos como a imagem que projetaram de nós. A verdade é que as pessoas (nas quais me incluo) não sabem o que querem de si mesmas e jogam suas frustrações nas costas do outro. Em cima de alguém que obrigatoriamente deveria ter a resposta. Mentira minha? Não creio. E não há resposta na última página, sua verdade não está em ninguém (a não ser em você mesmo), a decepção te engole, a culpa inflama, dias e noites são perdidos por emoções não conferidas no guichê. Vamos simplificar? Pegue a senha e aguarde. Pessoas sempre se decepcionarão com você. Pessoas sempre se apaixonarão por você. O importante é: não permita nunca que você se decepcione, pois só você tem o poder de fazer isso.

(Fernanda Mello)

Extraímos felicidade das coisas mais simples... e multiplicamos a graça de cada instante. (Pe. Fábio de Melo)

Digo que às vezes eu tenho vontade de ter outra vez
um amigo como aqueles que a gente tinha na adolescência.
Aqueles pra quem você contava tudo, absolutamente tudo.
E que no fim você nem sabe mais se é amigo ou irmão.

(Caio F. Abreu)

''Existem pessoas como a cana, mesmo postas na moenda, reduzidas a bagaço, só sabem dar doçura.'' Caio F. Abreu